Planeje-se, Inspirações

Uma Paris e um crepe para cada momento da Vida

19 abr 2015 • por Carla Caldas • 0 comentários
Paris Garance Dore

Paris -Imagem : Garance Dore

Estou planejando minha terceira visita a Paris, que acontecerá em maio e de repente me peguei perdida nas recordações.

Estive na cidade pela primeira vez em 1996, com duas amigas.

Era final de dezembro e fazia muito frio. Marinheira de primeira viagem do inverno europeu, logo descobri que precisaria comprar alguns itens adicionais: boné, luva e ceroula térmica (Tenho até hoje o modelito cinza que comprei na Gap!).

Lembro da emoção de descer do metro e encontrar o Arco do Triunfo. Na sequencia caminhar pela Avenida ChampsÉlysées em direção ao Petit Palais e ao rio. Chegando nesse ponto fiquei tão maravilhada com a beleza que queria ter uma máquina que registrasse aquela imagem 360°. Impossivel. Naquele tempo as câmeras ainda eram de filme que precisavam ser revelados. Passado tantos anos constatei que a máquina não era necessária, pois tenho aquela cena impressa na minha memoria até hoje e com um diferencial, tenho a emoção de ver Paris a primeira vez guardada com a imagem.

Foi uma viagem de amigas, descobrimos muitas coisas juntas.

Desbravamos a Zara pela primeira vez e nem sonhávamos que um dia poderíamos encontrar aquela loja em cada shopping do Brasil.

Vivenciamos temperaturas negativas de – 17 graus que rederam momentos de sufoco para as três. Corremos muito em busca de estações de metro e lugares aquecidos.

Também não demoramos a aprender que os parapeitos externos das janelas do hotel viram geladeira para iogurtes, sucos e frutas no inverno rigoroso.

Brindamos o ano novo na Champs-Élysées. Bonne année, Bonne année.. Quase congelamos e nem sinal de fogos de artificio, o que para três cariocas acostumadas com o réveillon de Copacabana foi uma decepção.

Exploramos o roteiro turístico: Louvre, subimos na Torre, Museu Rodin, Centro Georges Pompidou, comemos sopa de cebola e baguetes, compramos na Galeries Lafayette, andamos um monte de metro.

E eu fui apresentada a uma simples delícia de rua que me encanta até hoje: Crepe de Banana com Nutella… hummmm… Lembro de Paris até hoje, quando como essa maravilha.

Paris Garance Dore

Paris: Ilustração Garance Dore

Em 2000 voltei a cidade luz, dessa vez sozinha. Sim sozinha!

Tinha acabado de passar um mês em Barcelona estudando e decidi viajar antes de retornar ao Brasil. Já era um momento diferente da minha vida. Recém-saída de um emprego, busquei na Europa um período de novos ares, uma pausa e encontrei no curso de espanhol essa opção.

Caminhei com mais calma por lugares menos turísticos, queria admirar a cidade.

Andei sem medo de estar só e na verdade, nunca estamos. Os amigos vão aparecendo no caminho. Fui ao Palácio de Versalhes e fiz amigos no Metro que me acompanharam até o final do dia. Fui ao Vale do Loire e os companheiros da van da excursão também rederam um dia de amizade.

Tomei vinho, me perdi nas lojas e claro.. comi Crepe de Nutella.

Agora em 2015, estou planejando uma viagem com meu marido.

E porque Paris?

Porque queríamos ter ido na lua de mel, mas optamos por outro destino, novo para os dois. Em 2013 fomos para Alemanha com a promessa de irmos até Paris, porém nos encantamos por Berlim, aumentamos nossa estadia por lá e novamente desistimos de Paris.

Agora, após 10 anos de casados decidimos que não poderíamos adiar a experiência de viver a dois, a Paris romântica.

O que queremos fazer por lá? Flâneur.. Aprendemos agora essa expressão.. risos . Ou seja, só caminhar sem pressa, andar na beira do Sena, tomar vinho, ver coisas do interesse dele (vamos assistir uma partida de tênis em Roland Garros) e outras do meu interesse.

Estou muito curiosa para descobrir o que Paris me reserva nessa nova fase de vida e claro.. quero comer Crepe de Banana com Nutella.

Comente Aqui
Dicas de Cuba – Havana
Como escolher a roupa adequada para sua viagem!