Vinho, Onde comer & beber

Monte da Ravasqueira: a tradição e a modernidade do Alentejo

24 set 2018 • por Carol & Luise0 comentários

No Alentejo, a Vila de Arraiolos tem fama pela tapeçaria desde o século XVII e é neste cenário que encontramos o Monte da Ravasqueira, uma empresa familiar movida pela paixão que se reflete em cada cantinho da Quinta.

Antes de cultivar vinhos, a família José de Mello era movida pelo amor aos cavalos e competições de Atrelagem. Em 1996, ganharam um Campeonato mundial de Atrelagem na Bélgica, com cavalos lusitanos.
A Atrelagem é uma modalidade antiga do hipismo, onde uma espécie de “carruagem” é puxada por um, dois ou até quatro cavalos e o objetivo é mostrar a versatilidade do condutor. Existe um concurso de atrelagem com 3 modalidades: adestramento, maratona e corrida com obstáculos. O vencedor é aquele que consegue maior pontos na soma das três etapas.

Ao visitar o Monte da Ravasqueira é possível conhecer a Coleção Privada de Atrelagens, uma das maiores da Península Ibérica. A peça mais antiga, a “Berlinda”, é original do XVIII. Uma verdadeira aula de história e de época.

Vale a pena conhecer!

MUSEU DE ATRELAGEM

Foi no final da década de 90 que o sonho de plantar vinhas e produzir vinhos de qualidade aconteceu. Tendo uma localização privilegiada em condições climáticas, em 1998, foram plantadas as primeiras vinhas da família. Hoje são 15 castas distribuídas em oito diferentes tipos de solo, que permitem a produção de grandes vinhos.

VINHAS E TOURIGA NACIONAL

Quando visitei a propriedade, a adega já estava sendo preparada para o inicio da colheita das uvas, a vindima. Uma das surpresas na visita foi conhecer a viticultura de precisão que exercem, aliando a tradição do velho mundo à modernidade do novo, com equipamentos e estudos que tornam possível monitorar a vinha ao longo do ano e obter a máxima qualidade em cada casta.

ADEGA

Umas das vinhas com história interessante é a Vinha das Romãs, onde antes de ser uma vinha, era mesmo uma plantação de romãs. Lindo, né?

VINHA DAS ROMAS

É desta vinha que é produzido um vinho de mesmo nome, o Vinha das Romãs, que pude degustar ali mesmo, bem ao pé das uvas.
É um vinho que agrada a todos os paladares, elaborado com as castas Syrah e Touriga Franca e a proporção do blend varia ano a ano.
Para desfrutar deste clima de calmaria alentejana, participei de um picnic cercada de vinhas…..

REDE PICNIC NAS VINHAS

 

WINE TASTING

Durante o almoço, outra surpresa foi o Premium Rosé, diferente de todos os rosés que já provei até hoje. É um vinho produzido com Touriga Nacional, que estagia seis meses em barricas de carvalho francês sobre as borras, e técnicas de battonage. Tem uma cor salmonada linda, é elegante e saboroso.

ROSE

O Premium Rosé faz parte da linha de produtos em homenagem a família José de Mello. No rótulo é possível observar, em destaque, a paixão da família pela atrelagem.


Para finalizar o almoço, experimentei uma sobremesa portuguesa, chamada “Encharcada Conventual”, típico doce português e popular entre as freiras do convento de Nossa Senhora de Assunção em Arraiolos. Na região sugere-se que acompanhe com melão fresquinho ou abacaxi para cortar um pouco o açúcar deste doce conventual.

SOBREMESA

A harmonização foi com o Late Harvest 2014 elaborado com a casta Viognier. Eu aprecio muito vinhos de sobremesa e este me surpreendeu pela frescura e doçura na medida certa, podendo até ser degustado isoladamente. Uma ótima opção mesmo para dias quentes de verão.

COLHEITA TARDIA

Ir além do vinho e conhecer uma vinícola, nos permite um enriquecimento cultural que ficam para a vida. Visitar o Monte da Ravasqueira foi uma imersão nos hábitos alentejanos e na história da família José de Mello, vivenciando este contraste entre a tradição e a modernidade. Um brinde ao Monte da Ravasqueira!
A vinícola dispõe de diversas opções de Enoturismo e degustações que podem ser encontradas no site: www.ravasqueira.com

Até a próxima,
Carol e Luise
@learningaboutwine

Comente Aqui
Onde ficar no Peru – Uma lista com nove hotéis