Dia de dica do leitor

Mariana é dentista e designer por formação, curiosa por natureza e adora viajar com sua família.

Ela esteve em Dubai, adorou a experiência e resolveu compartilhar com o Longe e Perto. Obrigada!!

Dubai

Por Mariana Tomaz 

Dubai, as margens do Golfo Pérsico, é a cidade mais populosa dos Emirados Árabes Unidos. Extremamente desenvolvida e mais de 80% da sua população é de imigrantes, selecionados com base em critérios rigorosos para trabalharem nas centenas de grandes empresas públicas e privadas que se instalaram ali nos últimos 20 anos.

Em Dubai, a criminalidade beira o zero, pois as regras para as infrações são firmes! Isso traz muita segurança ao turista, apesar de que sempre é bom estar alerta a seus pertences, onde quer que se esteja.

O clima é bem quente, principalmente de maio a agosto, quando as temperaturas podem passar de 45ºC, por isso a melhor época para visitar o país é entre os meses de novembro e fevereiro.

Precisa de visto para visitar Dubai, e você pode conseguir através de agências locais, algumas inclusive de agentes brasileiros, ou, para quem viaja com a Emirates, eles podem prover o visto. Custa cerca de 150 dólares por pessoa. Demora cerca de 7 dias, e é tudo online.

Dubai

Chegando ao Aeroporto

O aeroporto impressiona já na chegada! Um enorme complexo, cuja maior companhia que opera é a Emirates, a qual tem inúmeros atendentes em quiosques espalhados por todo local. Não se preocupe com dificuldades! Todos falam inglês e há muitos para ajudar. Se inglês não for do seu domínio, é possível solicitar serviço de concierge, caso realmente ache necessário. Porém, apesar de enorme, funciona igual a todos os aeroportos mundo afora. Detalhe para quem gosta de compras em free shop, é possível comprar bebidas alcoólicas mesmo na entrada do país. E pra ser sincera, lá havia a maior variedade que já vi na vida!

Do aeroporto para os principais pontos da cidade que interessam ao turista, há um metrô de ultima geração, limpo e organizado. Dependendo da localização do seu hotel, você pode tomar este metrô para chegar lá. Considere que, caso esteja no verão, você não apreciará uma boa caminhada para chegar ao hotel. Então poderá ser melhor tomar um taxi ou mesmo Uber. Não é caro, pois gasolina lá é bem barata. Para dispor da moeda local, o Dirham (AED), não fizemos cambio, optamos por sacar. Tem ATMs no aeroporto.

O Que Visitar

Isso sempre depende dos interesses pessoais, ou do grupo que visita a cidade, e ainda de quantos dias se dispõe na visita. Vou falar da nossa experiência.

Nós tivemos três dias apenas, e estávamos em casal. Então decidimos evitar passeios mais demorados, deixamos para uma próxima visita! Visitamos tudo por conta própria, não fizemos city tour. No geral, nos viramos bem. Mas há quem prefira o city tour, e tem várias opções de guias para brasileiros, (http://dubaicomguia.com.br, http://guiabrasileiradubai.blogspot.com.br, http://www.guiaemdubai.com). Isto é uma questão pessoal mesmo. Esses mesmos guias podem obter seu visto.

Dubai
Souk Al Bhar

Começamos pela área do Souk Al Bahar, um shopping parcialmente aberto com arquitetura e lojas mais típicas do mundo árabe. Ele é interligado ao Dubai Mall, o maior centro comercial do mundo.

Dubai
Dubai Mall
Dubai
Dubai Mall

Entre o Souk Al Bahar e o Mall há um lago artificial e logo ali o Burj Khalifa, mais um superlativo de Dubai -o edifício mais alto do mundo. No lago artificial ocorre diariamente a partir das 18h, a cada meia hora, o show das Fontes de Dubai, um show surpreendente! Cada show acontece com uma música diferente, e a iluminação e o movimento das águas a acompanha. No período em que estivemos lá, ouvimos de Michael Jackson a concerto de Bach!

Dubai
Burj Khalifa

Optamos por jantar no Souk Al Bahar, pelo show e atmosfera. Fomos ao Shakespeare and Co., um café/ bistrô bem descolado, onde muitos fazem uso do shisha, ou narguilé. Tem área para fumante e não fumante. O menu é bem variado. Adoro!

Shakespeare Café e sua atmosfera vintage

No Dubai Mall, vale a pena visitar o Aquário de Dubai. Uma enorme estrutura, de visita gratuita. É também no Dubai Mall que se compra os tickets para o andar 124 do Burj Khalifa, onde se tem uma vista panorâmica da cidade. Essa visita deve ser agendada previamente e eles são bastante rigorosos com o horário e quantidade de pessoas que sobem em cada horário disponível.

Dubai

No dia seguinte, resolvemos visitar a região do centro antigo de Dubai. Um passeio histórico e cultural bem diferente para quem não havia estado no mundo árabe antes.

Visita guiada a Grande Mesquita. Na verdade, é uma visita com hora marcada, onde servem um café no estilo árabe antes de começar, e depois somos direcionados ao grande salão, onde, sentados no chão, e sem os sapatos, ouvimos meia hora de explicação sobre como funciona a mesquita, e os hábitos islâmicos. Foi interessante, mas a visita se resume a este grande salão mesmo. Esta visita pede roupas adequadas, e as mulheres podem ser oferecidos xales para cobrir a cabeça.

Dubai
Espaço para o Café antes da visita guiada a Grande Mesquita

Dubai

De lá, rumo ao Dubai Creek, onde visitamos o Museu de Dubai, o lugar ideal para conhecer a história do emirado antes do advento dos petrodólares. O museu é pequeno, porém bem organizado e interativo, com instalações que nos fazem de fato perceber como era a vida ali antes do boom do desenvolvimento. Vale a pena!

Dubai
Museu de Dubai

Dali mesmo saímos para visitar os souks (mercados) de ouro e especiarias, fizemos a travessia do rio numa Abra, embarcação típica, bem rapidinho, deve levar uns 5 minutos. É algo que os locais fazem, uma vivência bem legal!

Dubai
“Abra” no Museu de Dubai

Os souks são aglomerados de lojinhas simples. Estão por ali, e ao caminhar, percebe-se que esta no de especiarias, ou no de ouro… Há indicações, mas não ha delimitações de espaço. Vá andando e descobrindo.

Dubai
Souk Medina

No último dia, resolvemos conhecer o Mall of the Emirates, outro mall, com grandes marcas presentes, e uma enorme variedade de produtos. Percebemos que, devido ao calor, a vida acontece muito dentro dos shoppings que estão sempre com muita gente. E o consumo por ali é maior que a media mundial, certamente. Para quem se interessa, é lá onde fica o esqui indoors (Ski Dubai).

Dubai
RainbowCake no Mall Of Emirates

À tardinha, já entrando pela noite, visitamos o Souk Madinah Jumeirah, bem parecido com Souk Al Bahar. Nos canais artificiais vê-se gondolas estilo as de Veneza. É possível passear nelas. Nós preferimos caminhar.

No leitora na região do Souk Madinat

Passeamos pela região, que fica na Jumeirah Beach, onde tem o famoso resort, Madinah Jumeirah (aquele que parece uma onda e tem um parque aquático). Dali é possível ver, não de tão perto, o Burj Al Arab, o luxuoso hotel de sete estrelas. Ícone da arquitetura de Dubai, o Burj Al Arab fica numa ilha particular, e só é possível visitá-lo de estiver hospedado ou se tiver reserva num dos três restaurantes que ele oferece.

Dubai
Burj Al Arab

A viagem ficou com gosto de ‘quero mais’. Bom que temos motivo para voltar!

Veja outros post de Mariana por aqui:

Nova York –  Restaurante Arabelle

Nova York – Restaurante David Burke

 

 

 

 

 

 

 

Instagram
@longeeperto